domingo, 9 de maio de 2010

A Força do meu Canto v.l.s.g

Faço versos como quem sabe a exata hora do fim.
E tudo que permeia a Vida
os permeia
de forma
saboreada
única
estampada
última.

Cada átimo de existência vívida
permanece
transmutado
cantado
inédito
impresso na beleza transformada
em lágrima
em riso.

Caudalosas palavras em profusão
vazam
meu paradoxal leito
arrastando-me
a perenal poesia.

E canto encantada no prazer de articular a expressão
aproximando
coração
razão
emoção.

Imprimindo vida sou música em versos
E melodia vou
em palavras
alçando vôos
coloridas
nebulosas
sangrentas
assentando pouso firme num eterno poema.

Assim canto sou
efígie alçada
síntese delirante
da suprema Vida
feroz
afeta
elevada
ferida
prosaica
etérea
fugaz
finda

E Vida estou
canto breve.
E Poesia,
canção eterna...

E, saboreando Vida,
eternizo força
Em meu canto, neste Poema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.